quarta-feira, 5 de junho de 2013

Fe(r)ver


Em toda completude vivida
in-acabada 
(uma só?) possibilidade 
Sim/não: talvez (!)
Me deixe
Leve com(o) o ar...
concreta (em) intensidade 
Par(a)ti inteira, (agora) aos pedaços
Em fúria: paz selada com tanque de guerra
algo oculto em véus: desalinho
Di-amante bruto ou di-lapidado  (?)
 la(r)va quente e um trago pro-fundo.
Ando em círculos...ao teu lado,
risco e traço, aresta... a(r)risca?
corda bamba alinhar a reta: algo obtuso
Fogo, fagueira e afago na escuridão...
Quebranto que cura:
 febre à noite,  ilusão, 
suor escorrendo devagar,
 arrepio no calor do meio-dia...
Yin-yang re-virado, fe-menina...
sou mulher brincando com palavras...
Ma(i)s amar(-ga) (que) é doce
Prosa noturna: sôfrega, ofegante
a arfar o peito, despidos de (quase) tudo
Palavras, verbos,  versos,  poesia...
apres(s)ados em todo(s) sentido(s)
direção, significado, sen.ti.mento:
ve(r) te: Amo(r)...
ma(i)s (?) (agora) só (há) pressagio.
Ouço seu silênCIO
e teu pranto me dizendo: 
A(hhh)maria...

Nenhum comentário:

Postar um comentário