terça-feira, 30 de junho de 2015

Teus

Minha poesia anda se escancarando por aí. Perdeu a vergonha: exala cheiros e tem tremores.  Minha poesia verte pensamentos mundanos, desejos.  Perdeu os pudores, os medos... Quer ser lida, devorada, com vontade, e eriçar teus pelos. Dela escorrem palavras obscenas e molhadas, como minha intimidade que lambuza teu falo, teus dedos.

Maria Lemke

segunda-feira, 29 de junho de 2015

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Sonho(s)


Ninguém deveria deixar as janelas abertas à noite. Até os sonhos, por vezes, ficam descobertos.

Maria Lemke

sábado, 6 de junho de 2015

Santa ou profana - by Monica Lemke

Entre ser santa ou profana... Estar sóbria ou insana... Sou as duas... Sou qualquer uma e na hora que me convém... Com uma boa dose de paixão vai pro espaço toda minha sobriedade... E por favor, se me desejar não tenha piedade, me afogue em seus beijos e me deixe na breve eternidade de seu desejo... Se sou santa ou profana, depende de você, porque sou quem eu quero ser!!

Mônica Lemke